2017/06/14

25.ª Automobilia de Aveiro / 2017 - Balanço (2/2)


No seguimento da publicação feita há uns tempos, aqui estamos com a segunda parte do balanço que fazemos da 25.ª Automobilia de Aveiro / 2017 e, como já dissemos anteriormente, desta vez com uma visão mais geral do evento.

Ao chegarmos no Sábado de manhã - ainda não tínhamos entrado no recinto da feira - já estávamos a fotografar os camiões antigos, e especialmente o autocarro AEC, que estavam em exposição na entrada. Começar melhor, é difícil!

Quando começamos a circular pelos vários espaços parecia que a afluência de público era pequena, mas ao falarmos com um vendedor sobre a situação, foi referido que o público não era muito, mas que estava a comprar material, cumprindo-se assim um dos objectivos da automobilia. Entretanto chegou a hora do almoço e a situação mudou. O número de visitantes aumentou muito, fazendo com que muitas vezes fosse difícil circular nos corredores dos pavilhões.

No exterior dos pavilhões destacava-se um "peso pesado" do nosso património ferroviário, uma locomotiva antiga a vapor, acompanhada de uma carruagem "napolitana", sendo possível entrar nesta e ver as diferentes zonas para passageiros e para mercadorias.

É de realçar que foi necessário deslocar este material até ao recinto da Automobilia de Aveiro e construir um troço de caminho de ferro para que pudesse estar em exposição.

Mas na parte ao ar livre havia outros veículos de peso, como vários tractores e máquinas antigas com lagartas, que aqui não são esquecidas. Bem perto também era possível ver motores estacionários usados para diferentes fins. Ainda vimos um deles a trabalhar, o que despertou a curiosidade de quem estava no local.

Quem prefere ou quem se interessa por veículos bem mais leves, tinha à disposição muitos carrinhos a pedais, na sua maioria de fabrico estrangeiro, havendo também alguns de fabrico português.

A Automobilia de Aveiro também é conhecida pelas exposições que apresenta, ou que nela são apresentadas, notando-se que há o cuidado de ir fazendo rotação de tipos de veículos, para que os visitantes tenham sempre um novo interesse e motivo para a visitar. Na imagem anterior podemos ver uma Kreidler GP50 Rennmaaschine de 1975 que estava em exposição no espaço da APME e cujo restauro foi terminado recentemente.

O Museu Nacional Ferroviário também estava representado com diferentes peças do seu acervo museológico, destacando-se um quadriciclo antigo para inspecção inspecção de vias.

Outra das exposições era de scooters Lambretta, sendo possível ver diferentes modelos desta marca, bem como de outras. Neste espaço podiam observar-se as diferentes soluções que os fabricantes adoptaram para este tipo de veículo, onde vamos sentados (e não montados, como acontece numa motorizada normal).

A Automobilia de Aveiro é um espaço de encontro e de mistura; seja de veículos, de objectos, de pessoas, de nacionalidades, de culturas, de materiais e de idades. Quem ainda tiver dúvidas sobre o que dizemos, veja as fotos com que terminamos esta publicação. Um bom exemplo de heterogeneidade!

Mais uma vez terminamos agradecendo à organização pelas facilidade concedidas e, enquanto não chega a 26.ª Automobilia de Aveiro / 2018, vão seguindo as nossas publicações com o que de melhor vimos neste evento!

seja o primeiro a comentar!

Enviar um comentário